Servidores do sistema prisional do Amazonas passam por treinamento de body scanner

 

Um novo equipamento de fiscalização entrará em ação nas unidades prisionais da capital até o final deste mês. Para capacitar os servidores do sistema prisional que irão manusear o body scanner, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) está promovendo, nesta quinta-feira (09/11) e sexta-feira (10/11), o treinamento técnico e operacional deste equipamento.

Foram adquiridos nove equipamentos, através dos recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen). O body scanner que funcionará nas unidades prisionais é semelhante ao utilizado em aeroportos e funciona como um método extremamente seguro para escanear pessoas, identificando, por meio das imagens, o que cada um está portando. Esse procedimento tornará a revista mais efetiva para descobrir objetos proibidos escondidos com a intenção de burlar a segurança.

 

O secretário executivo adjunto, major da Polícia Militar, Klinger Paiva, explica que o aparelho será um reforço na fiscalização de objetos ilícitos nas unidades prisionais. “Com o equipamento, vamos minimizar a possibilidade de entrada de materiais proibidos, que, nas mãos de detentos, podem vir a gerar situações de estabilidade no sistema”.

Duas turmas – O treinamento para servidores do sistema foi dividido em duas turmas. No primeiro dia, serão capacitados os diretores de unidades prisionais, agentes da Coordenação do Sistema Penitenciário (Cosipe) e Departamento de Inteligência Penitenciária (Dipen) da Seap. No segundo dia, será a vez dos supervisores e agentes de socialização da empresa co-gestora, Umanizzare Gestão Prisional.

Com o funcionamento previsto para até o dia 25 deste mês, o equipamento vai ser utilizado para a revista de todos que circulam nas unidades prisionais, como explicou o coordenador adjunto do sistema penitenciário, tenente da Polícia Militar, Camurça Neto, que participou do treinamento.

Treinamento Body Scanner SEAP7

 

“Todos que adentrarem em qualquer unidade prisional da capital serão revistados através do equipamento, tanto os familiares que vierem visitar seus parentes que estão presos quanto os agentes e funcionários da empresa e servidores da Seap. Essa medida nos dá mais segurança e transparência nos trabalhos de fiscalização e ordem que estamos conduzindo no sistema prisional”, explicou o coordenador adjunto.

Body scanner – Este equipamento vem sendo utilizado frequentemente em aeroportos por todo o país, inclusive no Amazonas. No sistema prisional, o body scanner já é utilizado em alguns estados, como Paraná e também no Distrito Federal.

O body scanner emite ondas de radiofrequência e possui transmissores e receptores que ficam posicionados em duas colunas. Segundos após a pessoa passar pelo procedimento de revista, as imagens são transmitidas para um monitor, onde terá um funcionário que analisará as imagens, identificando objetos metálicos e outros materiais que são detectados através da tecnologia. 

TEXTO: KAMILLA LIRA / SEAP

FOTOS: AGUILAR ABECASSIS / SECOM